28 de nov de 2007

"PORQUE NELE NÓS VIVEMOS, NOS MOVEMOS E EXISTIMOS" At. 17:28

Estou certo de uma vez por todas que este é o meu lugar. NELE. É NELE que devo ser achado, devo estar envolvido e devo estar escondido. Já cantei tanto que quero ser cheio Dele, que quero mais Dele, que busco a face Dele. E não que isto seja errado, mas, eu estou aprendendo com Ele que na verdade eu devo é ser envolvido por ELE e não simplesmente cheio (se é que se pode dizer simplesmente). Descobri que com Ele dentro de mim eu ainda consigo fazer, controlar, dominar,... Colocar a arca num carro..., Mas quando sou envolvido por Sua presença a coisa é diferente, pois estou Nele como ramo e ai é ELE quem faz. O ramo ou galho que esta ligado numa árvore vive move-se e existe por causa da árvore. Ele não consegue crescer sozinho e nem pode dar fruto por que quer dar fruto. Mas ao receber ceiva, vida do tronco, ou do caule ele produz então conforme receba do seu tronco. Jesus é a videira e não a Igreja. Ele é a fonte e não a Igreja. A vida vem Dele e não da Igreja. Ele é quem chama e não a Igreja. Ele é quem fez, faz e pode fazer e nunca foi e nem será a Igreja. O grande problema é que a Igreja pensa ao contrario. Tem feito muita coisa boa, tem feito até mesmo as coisas de Deus, usando os princípios de Deus. Mas sem Deus. Faz pra que possa crescer e ser um ministério forte, conhecido e reconhecido. E até pensam que são os ramos que estão se estendendo. E tem até mesmo frutos, mas não o do Espírito Santo, pois se fossem não haveria tantos enfermos, mortos e desviados dentro dela; e pasmem: muitos destes são lideres. A instituição não se move NELE, ela se move em projetos e em empreendimentos em favor de um reino chamado “ventre”. A instituição pensa que a perseguição é contra ela, por causa dela, mas não é. Jesus ao derrubar Saulo no chão lhe perguntou: Por que tu me persegues? E não porque você esta perseguindo meus servos? Quando Saul mandou caçar Davi, os três destacamentos ao chegarem perto do lugar onde ele estava foram cheio do Espírito Santo. Então o próprio Saul resolve ir e ao sair do local que estava foi cheio do Espírito, quando chegou onde Davi estava foi pro chão e nu profetizou a favor de Davi uma noite e um dia inteiros! Sabe por quê? Porque Davi não era uma pessoa cheia de Deus, ele estava escondido dentro de Deus. Pra chegar em Davi todos eles tiveram que passar pelo Senhor de Davi. Quando Pedro e João foram libertos da prisão e voltaram pros demais discípulos, glorificaram a Deus e o adoraram por terem apanhado por causa do nome de Jesus. Eles estavam vivendo a vida de Cristo e por Isso era Igreja. Então pediram mais ousadia pra suportar as afrontas e o local tremeu todo como sinal da companhia do Senhor e de Sua aprovação. Hoje temos na televisão pessoas colocando um rótulo no povo de Deus e os incentivando a ir pra rua fazer protesto caso o Estado tente forçar ou impedir a Igreja de algo. Não deveríamos é ir pro lugar de intercessão, adoração e ouvi-lo pra saber o que fazer? É como terminam as cartas as sete Igrejas em Apocalipse: Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz as igrejas. O escritor do livro O homem do céu teve uma conversa com o Pr. na Igreja Missionária Oriental que fica no Bom Retiro em São Paulo, e lhe pediu para trazer um recado pra Igreja Brasileira (se é que existe igreja brasileira, americana, mexicana.): Diga pros irmãos do Brasil que parem de orar pra que acabe a perseguição aqui na China. Nós não queremos isto. Diga pra orarem pra que deus nos de ombros e joelhos fortes. Você esta vivendo NELE, se movendo NELE ou naquilo que você pensa que é DELE? Você esta entre estes abaixo?

Então aqueles que temiam ao Senhor falaram uns aos outros; e o Senhor atentou e ouviu, e um memorial foi escrito diante dele, para os que temiam ao Senhor, e para os que se lembravam do seu nome. E eles serão meus, diz o Senhor dos exércitos, minha possessão particular naquele que prepararei; poupá-los-ei, como um homem poupa a seu filho, que o serve. Então vereis outra vez a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus, e o que o não serve.

27 de nov de 2007

A CELEBRAÇÃO DA INIQUIDADE NA IGREJA.

Hoje eu li um artigo que louvava a celebração do recasamento de alguém que já foi um querido amigo, chegando até mesmo a participar comigo de alguns trabalhos e fui também co-produtor de alguns de seus primeiros projetos. Pessoa a quem muito amei e ainda amo.

É um cantor de renome e com muita unção para compor e cantar, mas, nem por isso, e de maneira alguma, posso concordar com os novos passos de sua vida com respeito ao deixar sua esposa e filhos.

Pois, segundo a palavra de Deus, o mesmo ao se divorciar de sua esposa, casando-se com outra mulher se colocou em pecado adultério como nos diz Lucas 16:18 - Quem repudiar sua mulher e casar com outra comete adultério; e aquele que casa com a repudiada pelo marido também comete adultério.

Temo que o princípio do casamento indissolúvel esteja se diluindo no meio da Igreja cristã, chamada evangélica, que tem se contextualizado com o mundo, tornando-se pior até mesmo que a igreja católica que ainda tem no casamento uma prática e dogma indissolúvel.

Muitos procuram na Bíblia uma maneira de justificar-se em vez de buscar uma atitude de restauração. Quero dizer que creio profundamente em um Deus de restauração, creio que quebrantamento e perdão, por certo, são a cura para todos os relacionamentos por mais difíceis que sejam.

Quando vejo uma situação como esta que mencionei me pergunto: Será que o evangelho é tão fraco assim? Será que o poder que proclamamos é tão tênue que não possa sarar um marido e uma esposa que passam por dificuldades? Será que a fé que temos e proclamamos que remove montes, não pode remover a dureza de nosso coração que, segundo Jesus, é a razão pela qual o homem busca a carta de divórcio?(Mat 19:8).

E é isto, neste caso do amigo que citei e de tantos outros: o problema é a dureza de coração, a qual tem sido escondida como causa, mas sem dúvida, é a mais clara razão pelos frutos que tem dado. Duas vidas preciosas que se divorciam o fazem unicamente por dureza de coração e a igreja não pode louvar esta atitude, pois é uma celebração a iniqüidade e ao pecado.


Eu me pergunto, onde estão os profetas? Será que só existem em palcos? Onde estão os profetas dos bastidores para se levantarem, indo contra a disseminação do pecado na vida da Igreja? Para se pronunciarem frente aos poderes da mídia evangélica de nosso país, que tem contextualizado e banalizado o assunto?

E neste caso, em vez de um profeta, este irmão em questão encontrou alguém que com panos quentes - e totalmente contrário a palavra de Deus - “abençoou” as novas núpcias trazendo condenação sobre si mesmo e sobre a Igreja. Ou um outro irmão que, não bastasse o separar-se de sua esposa e filhos, mas se auto recasou, deixando para trás tudo que possamos crer sobre a seriedade da aliança conjugal no meio da Igreja.

Falando em profetas, quero lembrar de João Batista que perdeu sua cabeça por causa deste assunto, pois dizia a Herodes que não lhe era lícito possuir a esposa de seu irmão. Hoje, muitos pastores estão abandonando suas esposas e filhos e casando com outras, muitas vezes mais jovens e bonitas, e por certo, quem se levanta contra nestas congregações tem perdido suas “cabeças”.

Entretanto, quero aqui declarar que o erro e o engano não mudarão a palavra de Deus que fala com toda a clareza, trazendo como ordenança do Senhor o seguinte : – I Cor.7:10,11 aos casados ordeno, não eu mas o Senhor que a mulher não se separe do seu marido se porem vier a faze-lo que não se case ou se reconcilie com seu marido ou – I Cor. 7:39. A mulher está ligada enquanto vive o marido, se contudo falecer o marido fica livre para casar-se com quem quiser mas somente no Senhor

Ou Romanos 7: 2 e 3. Ora, a mulher casada está ligada pela lei ao marido, enquanto ele vive; mas, se o mesmo morrer, desobrigada ficará da lei conjugal.De sorte que será considerada adúltera se, vivendo ainda o marido, unir-se com outro homem; porém, se morrer o marido, estará livre da lei e não será adúltera se contrair novas núpcias.


Mas você pode estar dizendo que este é um julgamento. Eu, portanto, lhe respondo que não tenho em meu coração a intenção de julgar ninguém, principalmente porque creio que esta situação já esta julgada por Deus e pela sua palavra!

Eu, como profeta do Senhor, estou me colocando contrário à quebra da aliança matrimonial e em total acordo com a Bíblia, que chama a situação de adultério. Malaquias 2:14 fala que Deus odeia o repúdio e é contra a deslealdade no matrimônio, e diz que Deus nem mesmo olha para qualquer outra oferta de nossas mãos quando assim agimos.



Temos que ter a atitude certa agora, esperando que esta situação de iniqüidade e desrespeito à família segundo os moldes de Deus, se desfaça e o diabo, que nesta área tem sua agenda feita contra a Igreja, seja barrado por homens e mulheres com coragem que se levantem.

Mesmo que isso seja ao custo de “suas cabeças” contra o sistema banalizador da Palavra de Deus e dos princípios de Jesus para a família e casamento. E, além disso, fortaleçam seu posicionamento diante de Deus para que nossos filhos saibam com clareza qual é a verdade e o caminho na hora de dizerem sim em um altar diante de uma noiva ou noivo, diante de Deus e da Igreja. O que passar disto é do maligno.

Asaph Borba