13 de nov de 2008

Realmente viver o Reino! (paret 1)

Hoje em dia falar do Reino não traz o mesmo peso que antigamente. Isso porque muitos já falam do reino, mas será que nossa idéia de Reino, o conceito que está sendo falado realmente é o que Jesus quis dizer quando Ele tratava desse assunto? Quando Jesus citava o Reino, estava lidando com dois assuntos, o Reino de Deus de Hoje (O reino do Senhor Chegou), e o reino como será vivido na vida vindoura (a parábola do tesouro no campo). Ambos são o mesmo reino, mas é o de hoje, que trata do nosso caráter como igreja.

Quero falar do Reino de Deus vivido HOJE.

A primeira coisa que quero ver sobre o “Reino HOJE” é aquilo que deve ser evidente na vida do Cristão... ou do CIDADÃO deste reino. Vejamos o que a Bíblia diz a respeito dessas características.

Mateus 6:31-34, Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos? Porque os gentios é que procuram todas estas coisas; pois vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas; buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Portanto, não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal.

Mateus 7:12, Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles; porque esta é a Lei e os Profetas.

Filipenses 2:1-7 Se há, pois, alguma exortação em Cristo, alguma consolação de amor, alguma comunhão do Espírito, se há entranhados afetos e misericórdias, completai a minha alegria, de modo que penseis a mesma coisa, tenhais o mesmo amor, sejais unidos de alma, tendo o mesmo sentimento. Nada façais por partidarismo ou vanglória, mas por humildade, considerando cada um os outros superiores a si mesmo. Não tenha cada um em vista o que é propriamente seu, senão também cada qual o que é dos outros. Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana.

Nos textos acima, vemos algumas coisas a respeito da vida cristã no cotidiano. Vamos dar uma pausa nesse pensamento para falar das origens desse conceito de REINO que está sendo cobrado aqui. Para isto devemos voltar para o Antigo Testamento. Vejamos 1 Samuel 8. Nesse capítulo o povo de Israel pediu um rei para ser como os da sua época. A gente vê algo semelhante a isso hoje quando lemos livros de romances medievais, ou assistimos filmes como Lancelot – O Primeiro Cavalheiro (com Richard Gere e Sean Connery). No final passamos a romantizar o conceito de um reino conforme as estórias que ouvimos. Imagine Israel, ao ouvirem as lendas dos cavalheiros dos reinos ao seu redor. Contos de bravura e valentia. Quando temos contato com os retratos realçados que se destacam entre a vida dura de um súdito, o povo admira e começa a se imaginar nessa realidade e passam a almejar essa vida. Versículos 19 - 22 do capítulo 8 dizem:

Porém o povo não atendeu à voz de Samuel e disse: Não! Mas teremos um rei sobre nós. Para que sejamos também como todas as nações; o nosso rei poderá governar-nos, sair adiante de nós e fazer as nossas guerras. Ouvindo, pois, Samuel todas as palavras do povo, as repetiu perante o SENHOR. Então, o SENHOR disse a Samuel: Atende à sua voz e estabelece-lhe um rei. Samuel disse aos filhos de Israel: Volte cada um para sua cidade. No capítulo 8 de 1 Samuel, vemos o resultado do povo ao receber essa influência. Tipo hoje, as estórias das novelas da TV têm levado muitos crentes a perderem paixão pelos princípios cristãos e assumem atitudes que entristecem ao Espírito Santo. Deus então fala aos Israelitas como será a realidade ao receberem o que desejarem. Versículos 11 – 18:

E disse: Este será o direito do rei que houver de reinar sobre vós: ele tomará os vossos filhos e os empregará no serviço dos seus carros e como seus cavaleiros, para que corram adiante deles; e os porá uns por capitães de mil e capitães de cinqüenta; outros para lavrarem os seus campos e ceifarem as suas messes; e outros para fabricarem suas armas de guerra e o aparelhamento de seus carros. Tomará as vossas filhas para perfumistas, cozinheiras e padeiras. Tomará o melhor das vossas lavouras, e das vossas vinhas, e dos vossos olivais e o dará aos seus servidores. As vossas sementeiras e as vossas vinhas dizimará, para dar aos seus oficiais e aos seus servidores. Também tomará os vossos servos, e as vossas servas, e os vossos melhores jovens, e os vossos jumentos e os empregará no seu trabalho. Dizimará o vosso rebanho, e vós lhe sereis por servos. Então, naquele dia, clamareis por causa do vosso rei que houverdes escolhido; mas o SENHOR não vos ouvirá naquele dia.

Segundo este trecho, o reino dos homens possui uma característica predominante:

18 de fev de 2008

Existe um homem chamado Patch Adams que sabe muito bem o que é amor. Assista o Filme que fizeram sobre ele, e apesar do filme ficar devendo um pouco sobre a vida dele, vai te dar um pouco de entendimento sobre amar. Enquanto mentirosos pregam o evangelho na tv, outros gravam cd's e dvd's e fazem idolos, e ainda outros que se dizem decepcionados com o sistema e com a instituição mas ficam ociosos em suas casas e não fazem nada, só julgam e acusam e em sua grande maioria estão esperandi achar um trevo de 4 folhas pra saber o que devem fazer. Este médico mostra na prática o que é amar. Se é Cristão confesso? Não sei não, mas ta ai uma dica de alguem coerente.

Fico pensando, onde estão os amigos do Noivo, os amigos de Deus, os livres, os maduros, os profétas????



http://video.google.com/videoplay?docid=4517809180274753735&q=roda+viva+duration%3Along&total=5&start=0&num=10&so=0&type=search&plindex=2